Se eu tivesse pensado nisso antes




Yüklə 6.85 Kb.
tarix27.04.2016
ölçüsü6.85 Kb.
Se eu tivesse pensado nisso antes ....
Uma coisa que todo cientista odeia é abrir uma revista científica e descobrir que outro cientista encontrou a solução para o problema que está tentando resolver. Associado ao prazer de ver o problema resolvido vem o sentimento de inferioridade (como não pensei nisso antes?) e de abandono (o que vou fazer da vida a partir de hoje?). Foi quase o que senti na semana passada quando me deparei com a solução de um problema ao qual dediquei três anos de minha vida. Mas antes que estes sentimentos tomassem conta da minha mente, lembrei que havia desistido de resolver o problema faz mais de vinte anos. Foi sorte, fiquei só com o prazer de ver o problema resolvido.
Quando um gene é ativado, a informação contida na seqüência de DNA é copiada em uma molécula de RNA. Esta molécula é processada antes de ser usada para produzir uma proteína. Este processamento é chamado de “splicing”. Para entender o processo imagine que o RNA é um colar com 100 pérolas. Com a mão esquerda segure o colar na pérola número 10. Com a direita segure o colar na pérola 80. Se você aproximar as duas mãos, as pérolas 10 e 80 vão ficar próximas e vai se formar uma alça contendo as pérolas de número 11 a 79. Agora, se você emendar a pérola 10 à 80, cortar a linha entre 10 e 11 e também entre 79 e 80 a alça se soltará, e o colar conterá as seqüência 1 a 10 ligada à seqüência 80 a 100. Você acabou de fazer um “splicing” no seu colar de pérolas, juntando os “exons” (1-10 e 80-100) e removendo o “intron” (11-79).
Em 1984 o grupo em que eu trabalhava na Inglaterra, juntamente com outros laboratórios nos EUA, descobriu que muitos RNAs podiam ser processados de duas ou mais maneiras diferentes. Em outras palavras, a posição da alça podia variar gerando diferentes moléculas de RNA. Este processo foi denominado de “splicing alternativo”. Durante três anos tive como objetivo descobrir como o “splicing alternativo” era regulado. Levou mais de vinte anos, mas esta semana fiquei sabendo a resposta.
Os cientistas estudaram um gene envolvido na síntese da vitamina B. O que foi descoberto é que neste gene a alça formada pelo “intron”, antes do corte e da emenda, tem a capacidade de se ligar a uma molécula da vitamina. Quando existem muitas moléculas de vitamina na célula uma delas se liga à alça. Com a vitamina ligada à alça o padrão de “splicing” leva à produção de um RNA incapaz de sintetizar a vitamina. Com isso, ao longo do tempo, a quantidade de vitamina dentro da célula diminui até que não exista mais vitamina para se ligar à alça. Neste momento a alça sem vitamina faz com que o padrão de “splicing” se altere e o RNA formado produz uma enzima que aumenta a produção de vitamina, aumentando sua concentração.
A conclusão deste estudo é que o “splicing alternativo” é provavelmente mais uma forma de regular o metabolismo nos seres vivos. Agora além da regulação da expressão dos genes, da regulação direta da atividade das enzimas existe um terceiro mecanismo que é o “splicing alternativo”. Se esta observação for confirmada e este mecanismo existir em muitos genes, esta pode ser uma descoberta muito importante. Se eu tivesse tido esta idéia 20 anos atrás.... Pior seria se eu ainda estivesse tentando resolver o problema e agora me deparasse com a resposta.
Mais informações em: Control of alternative RNA splicing and gene expression by eukaryotic riboswithces. Nature vol. 447 pag. 497 2007
Fernando Reinach (fernando@reinach.com)


Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©azrefs.org 2016
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə