Inventário de anfíbios nos vales dos rios mucuri e jequitinhonha nos estados minas gerais e bahia




Yüklə 4.52 Kb.
tarix30.04.2016
ölçüsü4.52 Kb.
UFV / XV SIC / MARÇO-2006 / Biologia Animal / 566 
___________________________________________________________________

INVENTÁRIO DE ANFÍBIOS NOS VALES DOS RIOS MUCURI E JEQUITINHONHA NOS ESTADOS MINAS GERAIS E BAHIA

DAYRELL, Jussara Santos (Bolsista); FEIO, Renato Neves (Orientador); PANTOJA, Davi Lima (Outro); FERREIRA, Paula Leão (Outro); NASCIMENTO,Luciana Barreto (Professor)



Com objetivo de promover inventário faunístico em fragmentos de Mata Atlântica recomendados pelo “Workshop sobre definição de áreas prioritárias de conservação da biodiversidade da Mata Atlântica e Campos Sulinos”, em convênio com o Instituto Conservation International do Brasil realizou-se, entre fevereiro de 2003 e janeiro de 2005, amostragens com métodos de observação e coleta de anfíbios. Foram amostrados oito fragmentos, em duas ou três viagens a cada fragmento, nas seguintes localidades: Ladainha, Almenara, Santa Maria do Salto, Salto da Divisa, Jordânia, Bandeira (MG) e Macarani (BA). Foram identificadas 81 espécies de anfíbios das famílias Bufonidae (5), Centrolenidae (1), Hylidae (47) Leptodactylidae (26), Microhylidae (1) e Pipidae (1). Destaca-se o encontro de sete novas espécies dos gêneros Crossodactylus, Physalaemus, Phyllomedusa, Phasmahyla e Scinax (três). Algumas espécies tiveram seu primeiro registro para Minas Gerais, com significativa ampliação da distribuição geográfica, como Scinax auratus, Xenohyla eugenioi, Dendropsophus giesleri, Aplastodiscus weygoldti, Phyllodytes kautskii, Sphaenorynchus palustris, Adelophryne pachydactyla, Eleutherodactylus vinhai, E. paulodutrai, Physalaemus erikae, P. aguirrei e Rhamphophryne proboscidea. A fazenda Limoeiro, em Almenara (39 espécies) e a fazenda Nossa Senhora de Fátima, em Poté (38 espécies) apresentaram maior riqueza de espécies, talvez em função de serem diagnosticados comportamentos explosivos nestas localidades durante os trabalhos. Santa Maria do Salto destacou-se pelo expressivo tamanho e grau de conservação do fragmento estudado, ainda com alta riqueza de espécies (35) e o encontro de novas espécies (seis). Isto indica a potencialidade dos remanescentes florestais dos vales dos rios Jequitinhonha e Mucuri em abrigar expressiva diversidade de anfíbios da Mata Atlântica, tornando urgente medidas de conservação e manejo para estas áreas. Estes resultados, agrupados àqueles de outras áreas temáticas subsidiam propostas de priorizar áreas para a criação de unidades de conservação na região. (CNPq)


Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©azrefs.org 2016
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə